Veja as 5 melhores fotos astronômicas de 2021

Por Nicolas Oliveira

O fim de ano está chegando e com ele chegam também as muito conhecidas listas dos melhores em cada categoria. Isso inclui, é claro, a nossa seleção das melhores fotos de astronomia de 2021, que reúne registros deslumbrantes do Cosmos e convidam o olhar para cima, em direção às estrelas!

Vamos lá?!

5. A Nebulosa do Véu

A Nebulosa do Véu

A Nebulosa do VéuFonte:  ESA/Hubble 

Essa belíssima imagem é um reprocessamento feito pela equipe do Hubble com novas e mais sofisticadas técnicas que trouxeram à tona detalhes inéditos dos delicados e finos filamentos de gás ionizado da nebulosa. A Nebulosa do Véu está na vizinhança cósmica relativamente próxima, situada a cerca de 2.100 anos-luz da Terra, na constelação do Cisne. Trata-se de um remanescente de supernova que ocorreu há cerca de 10.000 anos pela morte de uma estrela muito massiva. Estima-se que a estrela que deu origem a essa estrutura tinha cerca de 20 vezes a massa do Sol, viveu rápido e morreu jovem, terminando sua vida nesse evento cataclísmico de beleza singular!

4. A foto comemorativa do 31º aniversário do Hubble

Estrela AG Carinae

Estrela AG CarinaeFonte:  ESA/Hubble 

Você está olhando para os atos finais de uma estrela moribunda. Este foi o alvo escolhido da imagem comemorativa do 31º aniversário do Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA, em abril deste ano. Essa é a AG Carinae, uma estrela variável azul, cercada por uma nebulosa espetacular, formada pelo seu material ejetado durante várias de suas erupções. A nebulosa tem aproximadamente 10.000 anos e a velocidade observada da camada do gás e da poeira em expansão é de aproximadamente 70 quilômetros por segundo! As colorações vermelhas e azuis representam os detalhes do hidrogênio e nitrogênio ionizado e a distribuição da poeira que brilha devido ao reflexo da luz estelar. Os astrônomos acreditam que as bolhas de poeira e os filamentos foram esculpidos pelos poderosos ventos de AG Carinae, que está nos instantes finais da sua luta contra a autodestruição.

3. Quando beleza e sorte se encontram

Um meteoro Quandrântida coloridoUm meteoro Quandrântida coloridoFonte:  Frank Kuszaj 

Frank Kuszaj estava fotografando o céu com outros dois amigos naquela noite fria de janeiro na esperança de capturar galáxias e nebulosas distantes. Depois de configurar a câmera para fotografar as galáxias da Tripleta do Leão, Frank e seus amigos seus amigos viram um meteoro rasgando a atmosfera com um brilho verde. Espantados com a beleza do fenômeno, nenhum deles acreditou que o fato tinha sido registrado pela câmera até conferirem o registro: lá estava o meteoro, perfeitamente enquadrado, com o rastro vermelho do nitrogênio e oxigênio energizados na atmosfera terrestre. Esta imagem incrível foi um feliz acidente!

2. Cometa NEOWISE sobre Stonehenge

Cometa NEOWISE sobre Stonehenge.Cometa NEOWISE sobre Stonehenge.Fonte:  James Rushforth 

Essa foi uma das fotografias premiadas no concurso Fotógrafo de Astronomia do Ano de 2021, concebido pelo Observatório Real de Greenwich, na Inglaterra, em parceria com a revista inglesa BBC Sky at Night. Esta belíssima fotografia, escolhida entre mais de 4.500 candidatos provenientes de 75 países, mostra o cometa NEOWISE em sua passagem próxima da órbita da Terra em julho de 2020, bem acima das famosas ruínas de Stonehenge. A última vez que o cometa fez sua passagem próxima foi há 6.800 anos, quando Stonehenge ainda não existia: estima-se que sua construção teve lugar em algum momento há cerca de 5.000 anos.

1. Um eclipse solar no Polo Sul.

Registro do eclipse solar no polo Sul.Registro do eclipse solar no polo Sul.Fonte:  Aman Chokshi 

No dia 4 de dezembro ocorreu o único eclipse solar total do ano, que pôde ser visto em algumas regiões específicas Hemisfério Sul. O eclipse solar foi total para um punhado de pessoas na Antártida e na África do Sul e parcial para as demais regiões.  O eclipse durou pouco menos de dois minutos e atingiu sua totalidade às 7h44 no horário de Brasília, escurecendo por completo o céu da Antártica durante uma fração do seu dia polar, momento em que o Sol fica acima do horizonte por vários meses seguidos. Uma das pessoas sortudas foi o radioastrônomo Amon Chokshi, que fez o registro fantástico acima. Na imagem, na esquerda, está o Telescópio do Polo Sul (SPT, South Pole Telescope) e na direita, o telescópio BICEP/KECK, ambos com objetivo de estudar a radiação cósmica de fundo. Os pesquisadores animados e maravilhados com o evento podem ser vistos entre os dois telescópios!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *